Equipamento da Embrapa e Agrorobótica analisa amostras sem deixar resíduos

Cientistas brasileiros desenvolveram um equipamento capaz de fazer a análise de solo em áreas agropecuárias de maneira limpa e economicamente acessível ao produtor rural. O AGLIBS 1.0 utiliza a espectroscopia de emissão óptica com plasma induzido por laser (LIBS), não gera resíduos químicos e é capaz de analisar 1.500 amostras por dia, fornecendo dados de quantidade de carbono orgânico do solo, textura (teores de areia, silte e argila) e pH (nível de acidez).

A nova tecnologia foi divulgada no dia 3 de maio pela Embrapa e é o primeiro resultado da parceria da Embrapa Instrumentação com a Agrorobótica, startup voltada ao agronegócio (agritech) fundada em 2015, que disponibilizará a tecnologia ao mercado ainda neste primeiro semestre.

A tecnologia é a mesma usada no Rover Curiosity, robô da agência espacial norte-americana (Nasa) para investigar a presença de água em Marte.

Entre os dias 30 de abril e 4 de maio, o equipamento ficou em exposição no estande da Embrapa na Agrishow, que foi realizada em Ribeirão Preto (SP). De acordo com a doutora em física da Agrorobótica, Aida Bebeachibuli Magalhães, o equipamento permite fazer 360 mil análises anuais de amostras, sem gerar resíduos químicos. “Esse volume é quase o dobro de análises realizadas por grandes laboratórios que utilizam metodologia tradicional no Brasil, envolvendo 13 processos”, afirmou a cientista.